IR PARA O TOPO

¿POR QUÉ NO TE CALLAS AMAZON?

Onde raios alguém acha que, mesmo que isto possa ser considerado arte, vá lá… Se tem o direito de destruir a propriedade alheia em nome de uma forma esdrúxula de comunicação?!

Em 2007, na Conferência Ibero-Americana, realizada na cidade de Santiago do Chile, o Rei Juan Carlos da Espanha já devia estar pra ´la de enfarado ao ouvir as estultícias do presidente venezuelano, o caudilho bufão Hugo Chávez e largou um ¿Por qué no te callas? Isto é o que João Dória, atual prefeito de São Paulo deveria fazer com os publicitários da Amazon.

A luta de Doria, prefeito de S.Paulo pela ordenação e limpeza da cidade de S. Paulo contém um simbolismo que vai além de seu espaço urbano: ele representa um símbolo da capital pela sua autoestima. Ora! Ninguém que quer se mostrar bem sucedido se apresenta mal cuidado. Como atrair investimentos se o aspecto geral é de um lixão? E se os paulistanos não zelam pela sua cidade, o que podem exigir da prefeitura? E vice-versa, o que pode um prefeito cobrar pela sua cidade, se a população não acata seu esforço por reerguer a cidade que é deles?

A base legal para esta operação se encontra no Art. 65 da Lei de Crimes Ambientais que tipifica a pichação como crime contra o patrimônio artístico e cultural da cidade, ou seja, o seu meio ambiente urbano. É de uma hipocrisia atroz que os opositores do prefeito eleito falem em “liberdade de se manifestar” quando esta liberdade agride os outros, em suas propriedades, seus patrimônios, pois não serão os manifestantes que irão pagar pelo dano. Não irão pagar se não forem pegos, mas isto mudou.

Só para lembrar, enquanto foram gastos R$ 900 mil pela reforma da Ponte Estaiada em São Paulo para remover pichações, o picareta do ex-prefeito petista, Haddad nada fazia. Agora até com iluminação na obra esperamos que seja o início da iluminação do cérebro de muitos que tiveram suas vidas e mentes obscurecidas durante a gestão petista.

E aí Amazon, por que não projeta belos poemas nesta ‘maravilha’ de ‘arte urbana’ aí acima?

E agora que temos um gestor, além de político nato na prefeitura, eis que a Amazon atacou a gestão João Dória na prefeitura de S. Paulo por moralizar o uso do espaço público. “Pintaram a cidade de cinza? A gente cobriu o cinza de histórias” ou alguma bobagem do gênero, eles disseram. São imbecis? Por acaso, se projetassem os textos de literatura em paredes e muros pichados como fizeram, alguém conseguiria ler algo?

Eu boicoto a Amazon. Sua campanha é injusta. Aprendam seus publicitários idiotas que: o cinza permite que textos sejam projetados. A pichação oculta os mesmos e impõe o que o leitor deve ler. Muros limpos não, muros limpos permitem projeções e escolhas.

Se a Amazon tivesse um pingo de vergonha na cara de quem fez este lixo de propaganda obrigaria este a se retratar.

Por Anselmo Heidrich

Compartilhar

Sobre o Autor

Anselmo Heidrich

Mestre em Geografia Humana pela USP. Professor de Geografia há mais de 25 anos, pesquisador em geografia e geopolítica. Ex-Membro do Movimento Brasil Livre em Santa Catarina e do Movimento Resistência Liberal Brasil. Co-autor do livro Não Culpe o Capitalismo - http://naoculpeocapitalismo.blogspot.com.br/.

Uma ideia sobre “¿POR QUÉ NO TE CALLAS AMAZON?”